Tecnologias


Neurometria funcional computadorizada

A neurometria funcional é uma tecnologia utilizada para analisar e treinar o sistema nervoso autônomo (SNA), parte do sistema nervoso relacionada ao controle da vida vegetativa, ou seja, ao controle de funções vitais como a respiração, a circulação sanguínea, a temperatura, a digestão, assim como o estresse e a ansiedade.

É também o principal responsável pelo controle do corpo frente às modificações ambientais. Por exemplo, quando entramos numa sala gelada pelo ar condicionado, o SNA começa a agir, tentando impedir a queda de nossa temperatura corporal; os nossos pelos arrepiam e começamos a tremer para gerar calor. Ao mesmo tempo, ocorre uma vasoconstrição nas extremidades para impedir a dissipação do calor para o meio. Essas medidas, aliadas à sensação desagradável do frio, foram as principais responsáveis pela sobrevivência de espécies em condições desfavoráveis ao funcionamento do organismo. O organismo possui mecanismos que permite ajustes corporais, mantendo o equilíbrio do corpo, a que damos o nome de homeostasia.

O SNA é, então, responsável por respostas reflexas, que controlam os músculos lisos (musculatura cardíaca e glândulas exócrinas) e permitem o aumento da pressão arterial, da frequência respiratória, os movimentos peristálticos e a excreção de determinadas substâncias.

Este sistema é dividido em sistema nervoso simpático e parassimpático. O primeiro funciona como um acelerador; já o segundo, como um freio e, por isso, é fundamental o equilíbrio entre os dois, o que nem sempre conseguimos sem a ajuda da neurometria funcional, cujos treinamentos reprogramam o nosso cérebro, formando novas redes neurais, favorecendo um equilíbrio e melhorando várias funções do SNA, tais como o controle do estresse e da ansiedade, a indução do sono fisiológico e a variabilidade cardíaca.

 






Compartilhe