Notícias


Foi publicado, na Revista da UNESP (Universidade Estadual Paulista), mais um artigo científico desenvolvido e escrito pela Dra. Marcelle Louise Sposito Bourreau intitulado: Evaluation of postoperativ

Resumo

Objetivo: Este estudo clínico prospectivo randomizado analisou a influência de duas substâncias químicas auxiliares com diferentes potenciais de toxicidade, na dor pós-operatória de 301 tratamentos endodônticos concluídos em uma única sessão, com ampliação do forame apical e sobre extensão de cimento para o periápice. Materiais e Métodos: Foram usados ​​como substâncias químicas auxiliares, gel de clorexidina 2% (n = 145) e hipoclorito de sódio 5,25% (n = 156). A incidência de dor pós-operatória e desconforto foi avaliada em 24 horas, e foi expressa em porcentagem. O teste exato de Fischer e o teste de Qui Quadrado foram utilizados para comparar a variação da dor pós-operatória. Os fatores analisados ​​foram dor prévia, estado pulpar, idade e número de canais radiculares. Resultados: Nos dentes com dor prévia instrumentados com 2% CHX gel, o indíce de dor pós-operatória foi 22.22% (6/27) contra 11.11% (3/22) dos dentes instrumentados com 5.25% NaOCl e nos dentes sem dor prévia instrumentados com 2% CHX gel, o indíce de dor pós-operatória foi 5.08% (6/118) contra 2.33% (3/129) dos dentes instrumentados com 5.25% NaOCl, sem diferenças estatisticamente significativas entre os grupos. Os resultados mostraram que a dor presente exerceu uma influência significativa no estado pós-operatório (p<0,001). Depois de 24 horas, 93,7% (282/301) dos dentes não apresentaram dor e 6,3% (19/301) tiveram dor pós-operatória de moderada intensidade, e fizeram uso de uma ou duas doses da medicação. Conclusão: Diante dos resultados, podemos concluir que a substância química auxiliar não está associada à dor pós-operatória.





Downloads
Baixar este Arquivo para o seu computador

Visualizar o Arquivo


Compartilhe