Dicas e Dúvidas


RETORNO AOS ATENDIMENTOS APÓS QUARENTENA - 26/05/2020

Voltaremos! Mas não da mesma maneira: a transformação aconteceu para todos. 

Queridos pacientes, amigos e colaboradores, desejamos que todos estejam bem.

Gostaríamos de agradecer as mensagens, as ligações e o carinho que recebemos durante o período em que estivemos afastadas de nosso trabalho; como costumamos dizer, de nosso propósito de vida; mas, sobretudo, gostaríamos de agradecer a compreensão de vocês em tempos tão complicados.

Hoje, entendemos e sabemos um pouco mais sobre o coronavírus e a covid 19 e durante o tempo em que ficamos em casa, lemos, estudamos e criamos uma nova maneira de sermos dentistas. Também procuramos cuidar da segurança de vocês, equipando e reabastecendo a clínica e criando novos protocolos de recepção e atendimentos.

A partir de agora, reduziremos o número de atendimentos diários, ampliando o intervalo entre as consultas, a fim de termos tempo para limpar, desinfetar e esterilizar ambientes, superfícies e equipamentos sem que nada fuja à nossa atenção.

Gostaríamos de pedir a vocês a atenção a pequenos detalhes que nos trarão uma grande ajuda:


Traga um documento original com foto para poder subir no prédio.

 

Evite atraso e procure chegar a sua consulta com 15 minutos de antecedência.

 

Venha só. Acompanhantes não serão permitidos em nossa pequena sala de espera.

 

Venha para a consulta já sem joias, bijuterias ou acessórios como brincos, anéis, pulseiras, colares, correntes, bonés e lenços, que deverão ser removidos antes de sua entrada na clínica.

 

Se tiver cabelos compridos, venha para a consulta com os cabelos presos.

 

Venha para a consulta usando a sua máscara pessoal, obrigatória para a sua entrada na clínica. Devido à falta de EPIs no mercado, não poderemos fornecê-los.

 

Traga consigo somente o necessário; se possível, não traga bolsas e sacolas, as quais serão submetidas à desinfecção antes de sua entrada na clínica.

 

E o mais importante, traga o seu fio, escova e pasta de dentes, uma vez que a limpeza bucal será obrigatória antes de sua entrada na clínica, assim como a lavagem de seu rosto, incluindo as narinas, com água e sabonete.

 

Antes de entrar na clínica, o(a) orientaremos a remover os calçados e calçar propés (sapatilhas), os quais forneceremos, e desinfetar as mãos com álcool gel.

 

Assim, felizes retornaremos aos nossos atendimentos a partir da 2ª feira, dia 1o de junho de 2.020, contando com a ajuda, o cuidado e a compreensão de vocês. Para maiores informações, telefonem ou escrevam para 41 99815-0196.

Sejam bem vindos e sintam-se abraçados! Danielle, Marcelle e Rosana – 26/05/2.020


COMUNICADOS IMPORTANTES NA QUARENTENA - 30/04/2020

COMUNICADO EM RELAÇÃO ÀS CONSULTAS PROGRAMADAS PARA MAIO DE 2020!

Nós, Danielle, Marcelle e Rosana, estivemos no Instituto Noble Odontologia nesta 5a feira, dia 30/04/2.020, para telefonarmos a todos os pacientes agendados no mês de maio a fim de remanejarmos todas as consultas, mas, infelizmente, nem todos responderam aos chamados. Se você estava agendado(a) em maio para atendimento com a Dra. Danielle ou a Dra. Marcelle, considere a sua consulta cancelada e, por favor, nos telefone a partir de 01/06/2.020 para verificar a normalidade dos atendimentos e reagendar o seu horário. Obrigada pela compreensão de vocês. Nós, dentistas, somos o maior grupo de risco de transmissão e contágio da covid 19. Ainda pedimos que, se possível, permaneçam em casa. Continuamos com muitas saudades do nosso trabalho e de vocês, nossos queridos pacientes, mas quanto mais ficarmos distantes, mais rápido retornaremos. Sintam-se abraçados e acolhidos! Danielle, Marcelle e Rosana - 30/04/2.020

P.S.: Para mais informações, telefonem ou escrevam para 41 99815-0196.

O que é meditação? Como praticar?

Meditação

(Passo a passo adaptado por Danielle Louise Sposito Bourreau)

 

A palavra meditação vem do latim meditare, que significa "voltar-se para o centro no sentido de desligar-se do mundo exterior" e "voltar a atenção para dentro de si".

 

“Meditar não é necessariamente uma prática religiosa. Trata-se de treinar a mente para que sua cabeça esteja onde suas mãos estiverem, ou seja, parar de pensar no que aconteceu e no que ainda vai acontecer e concentrar-se no que você está fazendo neste momento.”

 

Lembre-se: Depressão é a alma que ficou lá no passado e ansiedade é a alma que já foi lá para a frente. Procure viver o presente e trazer a alma para dentro de si.

 

Aprender e conseguir meditar é uma questão de treino.

 

De manhã, acorde 30 minutos antes do horário usual, vá ao banheiro se necessário, volte para a cama, e programe o despertador para tocar em 15 minutos, no caso de você adormecer durante o exercício.

 

Permaneça numa posição confortável, deitada ou sentada de maneira ereta.

 

Vou ensiná-lo(a) o nível básico de relaxamento e meditação e, para isso, utilizaremos a nossa capacidade associativa e atribuiremos uma referência de relaxamento aos números.

 

Tome uma respiração profunda e pense no número 3 (relaxamento físico)... Exale lentamente e imagine cada vértebra e cada osso do seu corpo caindo sobre a superfície em que se encontram, relaxando todos os seus músculos.

 

Tome outra respiração profunda e pense no número 2 (relaxamento mental)... Exale lentamente e imagine-se envolto em uma suave luz.

 

Mais uma respiração profunda e pense no número 1 (relaxamento físico e mental)... Exale lentamente e imagine-se flutuando e transbordando energia; todo o seu corpo envolto em uma luz.

 

Pronto... Você já estará em seu nível meditativo. Gradualmente, aprenderemos a alcançar o nível básico com certa rapidez e, a partir deste estado, poderemos entrar em níveis mais profundos, contando, regressivamente, de 10 a 1; de 25 a 1; de 50 a 1; de 100 a 1. Ao chegar no número 1, estaremos em um nível meditativo mais profundo, mais saudável do que o anterior, acalmando o sistema nervoso central.

 

Continue respirando e focando em sua respiração, na inspiração e na expiração, prestando atenção em você mesmo e acessando o seu Eu interior.

 

Crie um ambiente mental, aconchegante e tranquilo, no qual poderá voltar sempre que precisar. Poderá ser ao ar livre ou um ambiente fechado, você escolhe.

 

Permaneça neste ambiente o tempo que conseguir ou que precisar. Faça as perguntas... Acalme-se... Concentre-se... Programe e reprograme o que quiser.

 

Faça o caminho inverso para retomar a consciência, para não sair espontaneamente, e diga, mentalmente, “Vou sair lentamente enquanto conto 1... 2... 3 e no 3, sempre tomando respirações profundas e lentas, prepare-se para abrir os olhos e mexer o seu corpo devagar, mentalizando: “Em melhor estado de saúde”.

 

Ao terminar, você estará bem disposto, revigorado , sentindo-se melhor do que antes.

 

Procure exercitar, também antes de dormir e, caso adormeça no seu nível meditativo, não haverá problema.

 

Você poderá usar o nível meditativo para colocar ordem na nossa casa interior; perdoar (diga: eu perdôo), aumentar a autoestima (diga: eu sou isso ou aquilo) e a positividade (diga: eu consigo... Hábitos, vícios, dificuldades), solucionar problemas (pense no problema, examine-o, busque as soluções), melhorar a criatividade, dormir (diga: eu vou dormir), desenvolver vontades (diga: eu tenho vontade de), curar traumas e medos, ciúmes, inveja e raiva. Você pode controlar a sua vida e a sua mente. Tente! Você consegue!


O que fazer para ter uma melhora da qualidade do sono, de vida e, sobretudo, saúde?

Uma simples mudança de hábitos pode ser suficiente para que você tenha um descanso reparador durante o sono, uma melhora na qualidade de vida e, o mais importante, saúde e felicidade. É fundamental realizar uma higiene do sono e evitar estímulos que o(a) mantenham em vigília. É importante alimentar-se bem e praticar atividades físicas e de relaxamento.

 

- Ir para a cama sempre no mesmo horário. O organismo humano adapta-se às rotinas.

 

- Dentro da fisiologia do corpo humano e do ritmo circadiano (ritmo do corpo em 24 horas), o horário ideal para dormir é entre 20:00 e 21:00 horas e o despertar (e levantar-se), entre 5:00 e 6:00 horas. O pico de secreção da melatonina, o hormônio do sono, inicia-se às 20:00 hs. e é preciso aproveitar essa primeira oportunidade para uma boa noite de sono. A secreção do cortisol, hormônio que nos desperta e nos estimula, inicia-se às 5:00 hs., porém em excesso leva ao estresse, à irritabilidade, à ansiedade e à dor, além de prejudicar o aprofundamento do sono.

 

- Os animais domésticos não tem o mesmo ritmo de sono que nós, seres humanos. Evitá-los no quarto ao dormir.

 

- Deitar para dormir e relaxar. Leia com uma luz direcionada ou ouça uma música gostosa e tranquila. O computador, o tablet e o celular (telas emissoras de luz intensa) são estimulantes, predispõem para a vigília e impedem a secreção da melatonina, regulada pela retina dos olhos. É recomendável desligá-los às 18:00 h. A televisão deverá permanecer a 2 metros dos olhos e ter o seu brilho reduzido.

 

- Dormir em um ambiente silencioso e escuro. A luminosidade, captada pela retina, inibe a secreção de melatonina pela glândula pineal. Após as 18:00 h., comece a preparar o corpo para dormir, evitando a exposição a luzes intensas. Se necessário, use um tapa-olho. A poluição sonora gera microdespertares, fragmentando o sono.

 

- Uma boa posição para dormir é a de lado, com um travesseiro entre os joelhos. Você também poderá dormir com a barriga para cima, mas esta posição deve ser evitada por portadores de roncopatia e apneia obstrutiva do sono. A barriga para baixo é contraindicada, pois forçará um estiramento dos músculos do pescoço e uma projeção lateral da mandíbula, o que causará dores e outros problemas futuros, além da compressão do diafragma, o que prejudica a respiração.

 

- Tomar um banho morno a frio (jamais quente) pelo menos uma hora antes de dormir. O banho fresco relaxa e abaixa a temperatura corporal, favorecendo o adormecimento.

 

- Manter-se hidratado tomando água durante o dia, porém evitar a ingestão de líquidos uma hora antes de dormir. A bexiga tem uma autonomia de 8 horas e não há necessidade de levantarmos durante a noite para esvaziá-la, desde que a esvaziemos imediatamente antes de deitar.

 

- Não fazer grandes refeições à noite e jantar entre às 18:00 e 19:00 horas, respeitando o horário das atividades do sistema digestivo.

 

- Praticar atividades físicas regularmente. A endorfina só é liberada através de atividades físicas, que aumentam também os níveis de dopamina. Trinta minutos diários são suficientes. A endorfina é um neurotransmissor, ou seja, auxilia na troca de informações entre os sistemas nervosos central e periférico, mas, além disso, é um mediador do sono profundo e um poderoso analgésico endógeno, o que aumenta o limiar de dor e a modula.

 

- Praticar um hobby ou alguma atividade para relaxamento entre o fim do expediente do trabalho e a hora de deitar, a fim de esvaziar a mente. Não teremos uma boa noite de sono se dormirmos com a cabeça cheia de problemas e pensamentos.

 

- Evitar a ingestão de café; chimarrão; chás preto, branco, verde ou mate; chocolate; bebida alcoólica; refrigerante ou qualquer outro alimento energético, açucarado ou cafeinado após as 14:00 horas. A cafeína, o açúcar e o álcool são estimulantes cerebrais e prejudicam o aprofundamento do sono assim como a sua manutenção.

 

- Cuidado ao tomar medicamentos analgésicos ou antigripais. Verifique na bula se não contém cafeína e, em caso positivo, evite a dose vespertina e noturna.

 

- Ter um colchão confortável e um travesseiro adequado. Se você dorme sem dor e acorda com dores no corpo, desconfie do colchão e/ou do travesseiro. O ideal é manter o pescoço alinhado com a coluna.

 

- Tomar, uma hora antes de dormir, uma xícara de leite ou chá quente (exceto os pretos, brancos, verdes e mates... Prefira os de camomila, erva doce, erva cidreira ou hortelã) com a mistura de mel e canela. A mistura mel + canela é rica em triptofano, que aumenta os níveis de melatonina e serotonina.

 

- Pingue uma gotinha de óleo essencial de lavanda no início do nariz (glabela), entre os olhos, e na entrada de cada narina, antes de dormir. A lavanda ajuda a aprofundar o sono assim como a sua manutenção. Use, também, sabonete de lavanda.

 

- Alguns alimentos contém triptofano, o precursor da serotonina (neurotransmissor dos transtornos afetivos e de humor, regulador do sono e mediador do sono profundo) e da melatonina (hormônio do sono):

 

Nuts: castanhas em geral (do Pará, de cajú), amêndoas, avelãs, nozes e amendoins

 

Leguminosas: lentilha, ervilha, feijão branco e grão de bico

 

Frutas: banana, abacate, manga, abacaxi, uva, caqui, tâmara, maçã, melancia, morango, goiaba, mamão, laranja e tangerina

 

Batata doce

 

Couve-flor

 

Beringela

 

Leite e derivados

 

Carnes em geral, preferindo os peixes e os frutos do mar

 

Cereais e grãos integrais: arroz integral, germe de trigo, quinoa e aveia

 

Sementes: de girassol e de gergelim

 

Pimentas

 

Ovos, sobretudo a gema

 

Mel (potencializado pela canela)

 

Chocolate amargo (acima de 70% de cacau), que contém também polifenóis interessantes, sobretudo para proteção cardiovascular

 

- Alguns alimentos contém tirosina, o precursor da dopamina (neurotransmissor das funções motoras e mentais, do amor, do prazer e da integração entre sentimentos e pensamentos). A falta de dopamina está intimamente ligada à síndrome das pernas inquietas:

 

Nuts: nozes, amêndoas e castanhas do Pará e de caju

 

Cogumelos

 

Peixes

 

Frutas: abacate, maça, melancia e tomate

 

Raízes: batata inglesa, nabo, cebola roxa e rabanete

 

Legumes: beterraba, abóbora, chuchu, berinjela, quiabo, aspargo, brócolis e pepino

 

Folhas verdes escuras: escarola, salsa, espinafre e couve

 

Leite e derivados

 

Leguminosas: feijão, ervilha e vagem

 

Sementes de gergelim, cevada e centeio

 

Vitaminas C e E

 

O que reduz a dopamina e deve ser evitado? Alimentos açucarados e que contenham cafeína e gorduras saturadas.

 

- Alimentos ricos em magnésio, que ajuda no funcionamento do sistema locomotor, estimula a reparação dos músculos, tendões, cartilagens e ligamentos, ativa o sistema nervoso central, melhora a concentração, reduz a ansiedade e ajuda a obter energia para o ciclo de Krebs (parte da respiração celular):

 

Frutas: uva, banana, figo e abacate

 

Grãos e sementes: granola, gérmen de trigo, aveia, gergelim, de girassol e de abóbora

 

Arroz integral

 

Soja, feijão preto e grão de bico

 

Nuts: nozes, amendoins, amêndoas e castanha de cajú

 

Leite e derivados

 

Peixe

 

Batata e beterraba

 

Couve, acelga, coentro e espinafre

 

Chocolate amargo

 

- Alimentos ricos em ferro:

 

Vegetais escuros: brócolis, espinafre, coentro e couve

 

Leguminosas: grão de bico, lentilha, feijão e ervilha

 

Tofu (queijo de soja)

 

Algas: kombu e wakame

 

Cereais integrais: aveia e quinoa

 

Sementes de gergelim e abóbora

 

Melado de cana

 

Açúcar mascavo

 

Uva passa e damasco seco

 

- Inclua, em sua dieta, a cebolinha, cujos benefícios incluem a melhora da memória e do desgaste emocional, além de melhorar o funcionamento do sistema digestivo, imunológico e respiratório.

 

- O açafrão da terra ou a cúrcuma tem propriedades anti-inflamatórias, antidepressivas e anticarcinogênicas bastante poderosas, além de prevenir doenças degenerativas e os distúrbios de memória. Misture ¼ de colher de chá do pó amarelo do açafrão a ½ colher de chá de azeite e uma pitada generosa de pimenta preta. Adicione isso a sopas, saladas, vegetais, carnes, etc.

 

- Procure se alimentar a cada 2 ou 3 horas. Prefira alimentos saudáveis como frutas, vegetais, iogurtes, cereais integrais, sementes e nuts. Como a glicose sanguínea é o único combustível utilizado pelo cérebro e, geralmente, esta glicose sofre a ação da insulina após 3 horas da ingestão do alimento, o cérebro irá solicitar este tipo de energia através da liberação do cortisol, da adrenalina e da noradrenalina, estimulantes e estressores naturais.

 

- O mulungu, também conhecido como canivete, bico-de-papagaio e corticeira, é uma planta medicinal muito eficaz no tratamento de problemas psicológicos relacionados com o estresse emocional, oferecendo uma certa tranquilidade para o desempenho das tarefas cotidianas devido à sua ação calmante, tranquilizante e sedativa. O mulungu também possui propriedades analgésicas, narcóticas, antiespasmódicas e tônicas e devido à sua capacidade calmante e tranquilizante, é muito utilizado para tratar os distúrbios do sono, como a insônia, por exemplo.

 

A parte utilizada do mulungu é a sua casca, que pode ser encontrada na sua forma natural ou em pó. As sementes desta planta não devem ser usadas, uma vez que possuem substâncias tóxicas que podem causar sérios danos ao organismo. Uma das maneiras de se utilizar o mulungu é através do chá feito com 4 g de casca de mulungu em uma xícara de água fervente. Colocar a casca de mulungu na água, deixar ferver por 15 minutos e tomar o chá ainda morno, de preferência três vezes ao dia, evitando tomar por mais de três dias seguidos, pois seu uso excessivo pode causar paralisias musculares.

 

Os efeitos colaterais do mulungu incluem sedação, sonolência e paralisias musculares. Além disso, o mulungu é contraindicado para pessoas que usam medicamentos anti-hipertensivos, pois podem baixar muito a pressão e causar hipotensão arterial.

 

- O chá de banana, por ser riquíssimo em triptofano, tem um poderoso efeito na indução e na melhora da qualidade do sono, além de auxiliar no controle da hipertensão arterial (rico em potássio), na prevenção de câimbras musculares, na prevenção do câncer (rico em antioxidantes), na melhora do funcionamento do sistema digestivo, na melhora e prevenção de problemas da visão, no fortalecimento de ossos e articulações (rico em magnésio), na melhora do humor, e no emagrecimento (sensação de saciedade e benefícios aos sistemas digestivo e intestinal).

Ferva em água suficiente para cobri-la, durante 10 minutos, uma banana com casca cortada ao meio. Após a fervura, retire a casca da banana cozida, que será descartada, e bata, num liquidificador, a polpa com a água da fervura. Está pronto o chá de banana.

 

- Sempre que estiver numa situação de estresse, ansiedade e irritação, pare tudo que está fazendo, respire profundamente e interiorize-se. Converse consigo mesmo(a) e tente exercitar o autocontrole.

 

- Se você gosta ou tem o hábito, pratique uma técnica de relaxamento ou a meditação antes de dormir. Você também poderá tentar o RMP (relaxamento muscular progressivo)

 

Meditação

 

(Passo a passo adaptado por Danielle Louise Sposito Bourreau)

 

A palavra meditação vem do latim meditare, que significa "voltar-se para o centro no sentido de desligar-se do mundo exterior" e "voltar a atenção para dentro de si".

 

“Meditar não é necessariamente uma prática religiosa. Trata-se de treinar a mente para que sua cabeça esteja onde suas mãos estiverem, ou seja, parar de pensar no que aconteceu e no que ainda vai acontecer e concentrar-se no que você está fazendo neste momento.”

 

Lembre-se: Depressão é a alma que ficou lá no passado e ansiedade é a alma que já foi lá para a frente. Procure viver o presente e trazer a alma para dentro de si.

 

Aprender e conseguir meditar é uma questão de treino.

 

De manhã, acorde 30 minutos antes do horário usual, vá ao banheiro se necessário, volte para a cama, e programe o despertador para tocar em 15 minutos, no caso de você adormecer durante o exercício.

 

Permaneça numa posição confortável, deitada ou sentada de maneira ereta.

 

Vou ensiná-lo(a) o nível básico de relaxamento e meditação e, para isso, utilizaremos a nossa capacidade associativa e atribuiremos uma referência de relaxamento aos números.

 

Tome uma respiração profunda e pense no número 3 (relaxamento físico)... Exale lentamente e imagine cada vértebra e cada osso do seu corpo caindo sobre a superfície em que se encontram, relaxando todos os seus músculos.

 

Tome outra respiração profunda e pense no número 2 (relaxamento mental)... Exale lentamente e imagine-se envolto em uma suave luz.

 

Mais uma respiração profunda e pense no número 1 (relaxamento físico e mental)... Exale lentamente e imagine-se flutuando e transbordando energia; todo o seu corpo envolto em uma luz.

 

Pronto... Você já estará em seu nível meditativo. Gradualmente, aprenderemos a alcançar o nível básico com certa rapidez e, a partir deste estado, poderemos entrar em níveis mais profundos, contando, regressivamente, de 10 a 1; de 25 a 1; de 50 a 1; de 100 a 1. Ao chegar no número 1, estaremos em um nível meditativo mais profundo, mais saudável do que o anterior, acalmando o sistema nervoso central.

 

Continue respirando e focando em sua respiração, na inspiração e na expiração, prestando atenção em você mesmo e acessando o seu Eu interior.

 

Crie um ambiente mental, aconchegante e tranquilo, no qual poderá voltar sempre que precisar. Poderá ser ao ar livre ou um ambiente fechado, você escolhe.

 

Permaneça neste ambiente o tempo que conseguir ou que precisar. Faça as perguntas... Acalme-se... Concentre-se... Programe e reprograme o que quiser.

 

Faça o caminho inverso para retomar a consciência, para não sair espontaneamente, e diga, mentalmente, “Vou sair lentamente enquanto conto 1... 2... 3 e no 3, sempre tomando respirações profundas e lentas, prepare-se para abrir os olhos e mexer o seu corpo devagar, mentalizando: “Em melhor estado de saúde”.

 

Ao terminar, você estará bem disposto, revigorado , sentindo-se melhor do que antes.

 

Procure exercitar, também antes de dormir e, caso adormeça no seu nível meditativo, não haverá problema.

 

Você poderá usar o nível meditativo para colocar ordem na nossa casa interior; perdoar (diga: eu perdôo), aumentar a autoestima (diga: eu sou isso ou aquilo) e a positividade (diga: eu consigo... Hábitos, vícios, dificuldades), solucionar problemas (pense no problema, examine-o, busque as soluções), melhorar a criatividade, dormir (diga: eu vou dormir), desenvolver vontades (diga: eu tenho vontade de), curar traumas e medos, ciúmes, inveja e raiva. Você pode controlar a sua vida e a sua mente. Tente! Você consegue!

 

Relaxamento Muscular Progressivo

 

Tome uma inspiração profunda e aperte, com muita força, os olhos e os músculos faciais

 

Expire e relaxe os músculos dos olhos, da testa e do rosto, imaginado os músculos se soltando dos ossos, amolecendo, caindo.

 

 Tome outra inspiração profunda e contraia, com muita força, os ombros

 

Expire e relaxe os ombros, imaginado os músculos se soltando dos ossos, amolecendo, caindo.

 

Tome outra inspiração profunda e contraia, com muita força, o abdômen

 

Expire e relaxe o abdômen, imaginado os músculos se soltando dos ossos, amolecendo, caindo.

 

Tome outra inspiração profunda e aperte, com muita força, as mãos

 

Expire e relaxe as mãos, imaginado os músculos se soltando dos ossos, amolecendo, caindo.... E assim, sucessivamente, com todos os músculos do corpo

 

Inspire e expire profundamente e pronto, os músculos estarão mais relaxados.


Para refletir:

 

“Mude, mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade.

 

Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa. Mais tarde, mude de mesa.

 

Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua. Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa.

 

Tome outros ônibus. Mude por uns tempos o estilo das roupas. Dê os teus sapatos velhos. Procure andar descalço alguns dias.

 

Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia ou no parque e ouvir o canto dos passarinhos.

 

Veja o mundo de outras perspectivas. Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.

 

Durma no outro lado da cama… Depois, procure dormir em outras camas.

 

Assista a outros programas de tv, compre outros jornais, leia outros livros, viva outros romances.

 

Não faça do hábito um estilo de vida. Ame a novidade. Durma mais tarde. Durma mais cedo.

 

Aprenda uma palavra nova por dia, numa outra língua. Corrija a postura. Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias.

 

Tente o novo todo dia. O novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, o novo amor, a nova vida.

 

Tente. Busque novos amigos. Tente novos amores. Faça novas relações.

 

Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria. Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.

 

Escolha outro mercado, outra marca de sabonete, outro creme dental… Tome banho em novos horários.

 

Use canetas de outras cores. Vá passear em outros lugares.

 

Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.

 

Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro, compre novos óculos, escreva outras poesias.

 

Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.

 

Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus.

 

Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as. Seja criativo.

 

E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino.

 

Experimente coisas novas. Troque novamente. Mude de novo. Experimente outra vez.

 

Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa.

 

O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. Só o que está morto não muda!

 

Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena)”.

 

(Clarice Lispector)

 

 


O que é endocardite bacteriana?

ENDOCARDITE É UMA DOENÇA QUE COMEÇA PELA BOCA

(Fonte: Jornal da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas – abril de 2.014)

 

Recentemente, o ator Luis Gustavo, o Vavá do programa de humor Sai de Baixo, ficou internado na UTI por mais de um mês por causa de uma infecção cardíaca, a endocardite bacteriana.

A lesão característica da doença é a vegetação, um aglomerado de fibrina, plaquetas e outras células do sangue e tecido infectado pela bactéria.

Apesar de ser mais comum em pessoas com condições cardíacas preexistentes (shunt artério-venoso, próteses cardíacas, marcapasso, coarctação da aorta, prolapso na válvula mitral), acomete, também, pacientes sem nenhuma história prévia, em 20% dos casos.

O grande número de bactérias na cavidade oral eleva o risco de caírem na corrente sanguínea diante de qualquer sangramento bucal, provenientes de doenças inflamatórias orais, como gengivite e periodontite ou de procedimentos odontológicos. Uma boa higiene e a prevenção de doenças bucais evitam o aparecimento da doença. “No grupo que apresenta predisposição conhecida, o uso de antibiótico profilático nos procedimentos odontológicos é uma forma de prevenção. A endocardite é uma doença muito grave, com grande chance de evoluir para a morte ou complicações.”, disse o Dr. Ricardo Casalino, doutor em cardiologia e especialista em doenças valvares e endocardite pelo InCor/FMUSP, cardiologista do InCor-SP, coordenador da clínica médica hospitalar do hospital Santa Marcelina e médico cardiologista do HIAE – Unidade Perdizes, em São Paulo.

Segundo a American Heart Association, em geral, indica-se 2g de Amoxicilina, uma hora antes da consulta odontológica e para pacientes alérgicos à Penicilina, 500mg de Azitromicina ou 600mg de Clindamicina.

É por este motivo que eu, Dra. Danielle Louise Sposito Bourreau, dou tanta importância à consulta pré-operatória e ao uso de medicamentos antes das minhas cirurgias.

O que é o tratamento de canal?

No interior do dente existe um espaço chamado de canal onde fica alojada a polpa dental ou "nervo". O tratamento endodôntico, também chamado de tratamento de canal, consiste em: remover a polpa dental, limpar, modelar e obturar o canal. Atualmente, os avanços tecnológicos e os novos conhecimentos biológicos, permitem que a maioria dos casos seja resolvida em uma única sessão de atendimento.

(Prof. Ruy Hizatugu)

Quando o tratamento de canal é necessário?

1. Quando a polpa dental encontra-se irreversivelmente inflamada. Apresenta dor espontânea, normalmente aumentada pelo calor (alimento ou bebida quente);

2. Quando durante a remoção de uma cárie extensa ocorre a exposição da polpa;

3. Quando a polpa encontra-se necrosada e/ou infeccionada. Associada ou não a uma lesão periapical (inflamação/infecção do osso). Pode apresentar dor e/ou inchaço. Em alguns casos só é diagnosticada pela radiografia;

4. Por motivo protético, fratura ou doença gengival associada.

(Prof. Ruy Hizatugu)

O tratamento de canal é eficiente?

Muitos fatores podem influir no sucesso do tratamento: sistema imunológico (de defesa), anatomia dental particular de cada dente, grau de doença, espécies de bactérias envolvidas, cooperação do paciente durante o tratamento etc. A restauração do dente tratado endodonticamente (restaurações de amálgama ou resina, coroas, pontes etc), o tratamento gengival e outros procedimentos necessários para o reestabelecimento da saúde bucal devem ser executados para o completo sucesso do tratamento endodôntico. A infiltração decorrente da falta de uma restauração definitiva pode induzir a formação de lesões periapicais (inflamação/infecção do osso).

(Prof. Ruy Hizatugu)

E quando o tratamento endodôntico falhar?

1. Sempre que possível, a primeira opção é o retratamento endodôntico que consiste na remoção do antigo material obturador, nova desinfecção e nova obturação do canal;

2. Cirurgia periapical que consiste na remoção cirúrgica da infecção/inflamação pela gengiva e osso;

3. Extração. A endodontia é a última alternativa antes da extração de um dente. Tudo que estiver ao alcance para que seu dente seja salvo será realizado.

(Prof. Ruy Hizatugu)

Quais são os cuidados pós-operatórios do tratamento endodôntico?

Após o tratamento endodôntico, o dente necessita de um período para que ocorra a reparação da ponta da raiz. Assim, é comum sentir um certo desconforto, principalmente quando se mastiga sobre um dente tratado. Normalmente esse período de desconforto restringe-se aos 3 primeiros dias após o tratamento, porém, em alguns casos, pode estender-se por mais de 10 dias.

O pós-operatório dependerá da sensibilidade de cada paciente, das dificuldades encontradas durante o tratamento e da presença ou não de infecção/inflamação.

Para um melhor pós-operatório é importante seguir algumas recomendações:

1. Tomar as medicações indicadas (iniciar o mais rápido possível), se houver indicação;

2. Não mastigar alimentos duros

Se mesmo tomando os devidos cuidados, o pós-operatório se apresentar muito severo (dor e/ou inchaço), o paciente deve contactar imediatamente o endodontista.

O tratamento endodôntico visa apenas eliminar a causa da doença que está no interior do canal. Assim, o sucesso do tratamento dependerá muito da resposta imunológica do paciente, que será responsável pela eliminação da infecção que está além do canal e da reparação óssea. Essa reparação total dos tecidos que envolvem a raiz do dente demora de 6 meses a 4 anos.

Em alguns casos o endodontista recomendará um acompanhamento radiográfico para avaliação que mostrará se o processo de cura está transcorrendo de maneira adequada ou não. Muitas vezes o sucesso ou insucesso do caso não está relacionado apenas aos sinais (inchaço e/ou fístula) ou sintomas clínicos (dor).

É muito importante que seja realizada a restauração definitiva do dente endodonticamente tratado, o tratamento gengival quando necessário, e outros procedimentos necessários para o reestabelecimento da saúde bucal. O sucesso do tratamento endodôntico depende diretamente desta etapa final de tratamento.

O paciente deve estar ciente que um dente tratado endodonticamente perde a capacidade sensitiva. Assim, é recomendável, além de redobrar os cuidados com a higiene oral, consultar periodicamente o dentista para uma correta manutenção, certificando-se da ausência de cáries.

Infltrações decorrentes de cáries ou perda de adaptação das restaurações ou próteses podem comprometer o tratamento endodôntico levando a formação de lesões ósseas.

(Prof. Ruy Hizatugu)



Compartilhe